Primeiríssima edição de “Harry Potter” é vendida por quase R$70 mil

RESUMO

  • Primeira edição de “Harry Potter and the Philosopher’s Stone” foi vendida por aproximadamente R$70 mil.
  • O livro adquirido por 40 centavos de libra continha erros, incluindo o sobrenome errado de J.K. Rowling.
  • A venda destaca o valor cultural e histórico da saga Harry Potter, que continua a influenciar o cenário global.

Uma raríssima edição inicial de “Harry Potter e a Pedra Filosofal“, adquirida originalmente por meros “40 pence” (cerca de R$ 2,50) em 1997, foi arrematada por cerca de R$70 mil em leilão.

O exemplar em questão é uma cópia de prova anterior à revisão final e contém diversos erros de impressão, incluindo o sobrenome da autora J.K. Rowling como J.A. Rowling.

primeira edição harry potter

O livro, parte de um lote de obras usadas, manteve-se por anos sob a guarda de sua proprietária, que o comprou com 26 anos e agora tem 52 sem que o valor real fosse reconhecido. O interesse pelo valor do exemplar surgiu após o aumento significativo de preços de exemplares da saga em leilões de raridades literárias.

“Eu não tinha muito dinheiro, mas sempre gostei de me dar ao luxo de dar uma olhada nas livrarias de segunda mão nas manhãs de sábado”, disse a vendedora. “… O livro do Harry Potter estava entre as pilhas – talvez até por acidente – já que todos os outros eram da Agatha Christie, Dorothy Sayers, Ngaio Marsh, etc., pelo que me lembro. Eu comprei como um brinde com um par de outros títulos – 40 centavos pelos três. Acho que nem olhei direito, para falar a verdade”.

Jim Spencer, um especialista em materiais raros e valiosos, enfatizou que o livro é um importante símbolo do início da série que se tornou um fenômeno mundial.

A disputa no leilão ilustra o alto valor cultural e financeiro da obra, além de sublinhar a contínua influência de Harry Potter na cultura global. A saga transcendeu os livros, gerando filmes de sucesso, mercadorias e diversas experiências imersivas.

Alexandre Garcia PeresEditor do Sobre Sagas e Analista de SEO da WebGo/Content. Raramente ri com filmes e prefere muito mais um dramão. Sempre conta os dias pelos próximos filmes do Tarantino, da Pixar e do Studio Ghibli e frequentemente reassiste os mesmos filmes na dúvida do que assistir.Pela formação em Letras, tem pavor de adaptações ruins de livros e sente um leve prazer ao assistir filmes muito ruins, especialmente os que passam na TV aberta. No tempo livre, gosta de tocar violão/guitarra, jogar videogame e brincar com um dos seus 12 gatos.
Veja mais ›
Fechar